Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




Blog da Bucciarelli
 


Sou Fã n.1 desse ator***




Escrito por Renata Bucciarelli às 13h21
[] [envie esta mensagem
] []





 

 



Escrito por Renata Bucciarelli às 13h49
[] [envie esta mensagem
] []





Essa é uma daquelas histórias que parecem ter sido inventadas. Nos anos 90, no parque de Yellowstone (nos EUA), lobos já estavam praticamente extintos.
Cientistas então resolveram reintroduzir esses animais ao parque. Como todo mundo sabe, lobos são predadores e, por isso, muitos acreditavam que aquilo
poderia ser prejudicial ao ambiente que já se encontrava em desequilíbrio.
Para a surpresa dos cientistas, não foi o que ocorreu. Não só isso, mas outras coisas inesperadas e incríveis começaram a acontecer.
E mais uma vez, o homem curvou-se diante da soberania da mãe natureza. Espetacular.

 



 



Escrito por Renata Bucciarelli às 13h17
[] [envie esta mensagem
] []





Documentário - TERRÁQUEOS (Earthlings) Dublado (COMPARTILHEM)***

 Caros, o documentário abaixo é excelente. Ele trata da realidade do condicionamento humano. Somos programados a ser violentos? Somos amorosos? Escravizamos os animais (pets) em todos os setores da vida? Se quiserem, reflitam e modifiquem seus hábitos, para expandir a consciência, viver de forma saudável e amorosa consigo e com os outros moradores do Planeta Terra. Na excelência do AGORA para alinhar o EGO.

 

Documentário - TERRÁQUEOS (Earthlings) Dublado (COMPARTILHEM)



http://www.youtube.com/watch?v=77RoxpuxC8M




 




.


Escrito por Renata Bucciarelli às 13h28
[] [envie esta mensagem
] []





Cara comunidade da Avaaz,



Nasci na Síria, e, neste momento, preciso da ajuda de todos. Em 24 horas, grandes potências mundiais se reunirão em uma conferência que pode dar início ao fim do sofrimento sírio se forem confrontadas com um pedido de cessar-fogo direto e humano, apoiado por milhões de pessoas de todas as partes do mundo. Clique para se juntar ao apelo de cessar fogo agora. A Avaaz vai transmitir online as vozes de vítimas da guerra Síria diretamente na conferência:

assine a peticao

Nasci em Homs, na Síria -- uma cidade sitiada, onde crianças e bebês são torturados e vêem bombas caírem sobre suas cabeças. É o inferno na terra e um lugar difícil de se ter esperança. No entanto, agora vejo uma chance para mudar isso, e escrevo este email para pedir a ajuda urgente de todos vocês.

Em 24 horas, pela primeira vez na história, grandes potências por trás desta guerra vão se reunir para negociar a paz. Eles dizem que querem atender as demandas do povo sírio e mostrar aos cidadãos de seus próprios países que estão fazendo alguma coisa. Faremos com que nossas vozes sejam ouvidas: vamos realizar uma pesquisa de opinião com cidadãos sírios, transmitir online seu apelo e apresentar as exigências da população diretamente para os países na mesa de negociação. E, além disso, vamos juntar um milhão de vozes para apoiar um pedido de cessar-fogo.

Foi preciso três anos de derramamento de sangue para que essa conferência pudesse acontecer, e agora temos pouco tempo para sermos ouvidos. Se unirmos nossas vozes, fizermos um apelo global pelo cessar-fogo, e comparecermos em massa na conferência – por meio de nossas assinaturas e do vídeo com as vítimas –, poderemos dar um fim a esta carnificina. Quanto mais de nós nos unirmos, mais atenção chamaremos, e maior pressão colocaremos sobre os envolvidos no processo de paz. Clique aqui e junte-se ao pedido de cessar-fogo na Síria agora:

http://www.avaaz.org/po/syria_ray_of_hope_loc/?bsIBeab&v=34567

Por muito tempo, o mundo inteiro não fez nada enquanto crianças eram mortas, milhares de pessoas desapareciam, cidades inteiras eram bombardeadas até virarem apenas escombros e dez milhões de refugiados deixavam suas casas (o equivalente a toda a população da Grécia!) . Agora, finalmente, os envolvidos nesta guerra vão se reunir para negociar a paz, mas, se não mostrarmos a necessidade de mais humanidade, eles vão se enfurnar em disputas geo-políticas e não tomarão medidas reais para acabar com este terror.

Vamos ser honestos: essa é uma guerra contra civis. O regime de Assad não apenas usou armas químicas em grandes comunidades, como também ocupou regiões inteiras do país, como a em que eu nasci, bombardeando-as diariamente e impedindo a entrada de alimentos. Várias famílias na minha cidade natal estão morrendo de fome, enquanto grandes potências da região, o Irã e a Arábia Saudita, enviam armas e dinheiro para os combatentes de ambos os lados. Estes países transformaram uma revolução popular e pacífica em um pesadelo, uma guerra por procuração alimentada por radicais. Meu antigo lar agora é um campo de batalha, e meus vizinhos e amigos são as vítimas.

Para mim, é difícil engolir uma negociação com um regime criminoso, mas se não apoiarmos o diálogo para conseguirmos um acordo de cessar-fogo, a guerra pode durar décadas. Essa conferência é a única esperança que temos, e, com a pressão certa, há uma chance de diminuir a tragédia. Precisamos começar a construir a paz urgentemente -- clique aqui para apoiar o cessar-fogo agora:

http://www.avaaz.org/po/syria_ray_of_hope_loc/?bsIBeab&v=34567

Eu me juntei à equipe da Avaaz há mais de um ano, quando a comunidade fez uma campanha de arrecadação de recursos e comprou equipamentos para ativistas sírios se comunicarem. Ainda me lembro do incrível sentimento de gratidão pela comunidade, que fez com que nosso pedido de ajuda chegasse ao resto do mundo. Mais uma vez estou pedindo sua ajuda urgente para meus compatriotas sírios, e para garantir que o mundo entenda que a maior parte do meu povo quer apenas comer, dormir com tranquilidade e construir um projeto que possa nos levar à paz e à democracia

Com esperança,

Mais e a equipe da Avaaz


PS - Muitas das campanhas da Avaaz foram criadas por membros da nossa comunidade. Crie a sua agora e obtenha a vitória sobre qualquer questão, seja ela local, nacional ou global: http://www.avaaz.org/po/petition/start_a_petition/?bgMYedb&v=23917


MAIS INFORMAÇÕES:

Oposição síria volta a confirmar presença na conferência Genebra II (RTP)
http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=711013&tm=7&layout=121&visual=49

Assad diz que deve tentar reeleição à presidência da Síria (G1)
http://g1.globo.com/mundo/siria/noticia/2014/01/assad-diz-que-deve-tentar-reeleicao-presidencia-da-siria.html

Peritos confirmam “provas claras” do assassínio de 11 mil detidos na Síria (Público)
http://www.publico.pt/mundo/noticia/peritos-confirmam-provas-claras-do-assassinio-de-11-mil-detidos-na-siria-1620447

A fome mata na Síria (El País)
http://brasil.elpais.com/brasil/2014/01/14/internacional/1389728041_000629.html

EUA e Rússia pedem cessar-fogo na Síria antes de conferência de paz (EBC)
http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticia/2014-01-13/eua-e-russia-pedem-cessar-fogo-na-siria-antes-de-conferencia-de-paz

 



Escrito por Renata Bucciarelli às 14h02
[] [envie esta mensagem
] []





A Racionalidade Irracional- José Saramago


Eu digo muitas vezes que o instinto serve melhor os animais do que a razão a nossa espécie. E o instinto serve melhor os animais porque é conservador, defende a vida. Se um animal come outro, come-o porque tem de comer, porque tem de viver; mas quando assistimos a cenas de lutas terríveis entre animais, o leão que persegue a gazela e que a morde e que a mata e que a devora, parece que o nosso coração sensível dirá «que coisa tão cruel». Não: quem se comporta com crueldade é o homem, não é o animal, aquilo não é crueldade; o animal não tortura, é o homem que tortura. Então o que eu critico é o comportamento do ser humano, um ser dotado de razão, razão disciplinadora, organizadora, mantenedora da vida, que deveria sê-lo e que não o é; o que eu critico é a facilidade com que o ser humano se corrompe, com que se torna maligno. 
Aquela ideia que temos da esperança nas crianças, nos meninos e nas meninas pequenas, a ideia de que são seres aparentemente maravilhosos, de olhares puros, relativamente a essa ideia eu digo: pois sim, é tudo muito bonito, são de facto muito simpáticos, são adoráveis, mas deixemos que cresçam para sabermos quem realmente são. E quando crescem, sabemos que infelizmente muitas dessas inocentes crianças vão modificar-se. E por culpa de quê? É a sociedade a única responsável? Há questões de ordem hereditária? O que é que se passa dentro da cabeça das pessoas para serem uma coisa e passarem a ser outra? 
Uma sociedade que instituiu, como valores a perseguir, esses que nós sabemos, o lucro, o êxito, o triunfo sobre o outro e todas estas coisas, essa sociedade coloca as pessoas numa situação em que acabam por pensar (se é que o dizem e não se limitam a agir) que todos os meios são bons para se alcançar aquilo que se quer. 
Falámos muito ao longo destes últimos anos (e felizmente continuamos a falar) dos direitos humanos; simplesmente deixámos de falar de uma coisa muito simples, que são os deveres humanos, que são sempre deveres em relação aos outros, sobretudo. E é essa indiferença em relação ao outro, essa espécie de desprezo do outro, que eu me pergunto se tem algum sentido numa situação ou no quadro de existência de uma espécie que se diz racional. Isso, de facto, não posso entender, é uma das minhas grandes angústias. 



José  Saramago, do Livro 'Diálogos com José  Saramago"


* O trecho inicial deste artigo foi citado na Palestra que ocorreu no GFFA sobre o Manifesto da Consciência Animal, no dia 04/08/2012.




Redação do blog Irmão  Animais- Consciência Humana


Escrito por Renata Bucciarelli às 13h50
[] [envie esta mensagem
] []





 

Governo corta verba em 38% e vigilância ambiental agoniza no país

Em 2011, quando conseguiu emprego no Parque Nacional de Boa Nova, no sudoeste da Bahia, o ambientalista baiano Osmar Barreto Borges estava realizando um sonho. Era um parque novo, criado em 2010, cujo forte é o turismo de observação de aves, umas de suas paixões.

Dois anos depois, tudo que Borges quer é ir embora. “Não agüento mais. Sofri até um colapso psicológico, estou desesperado para sair. A situação está desmoronando.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Parque Nacional de Boa Nova ocupa uma área montanhosa de 12 mil hectares, ou 120 km2. É o equivalente a 75 vezes a área do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, ou a 15 vezes o bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro. E Borges cuida dessa área sozinho.

O Instituto Chico Mendes para Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia para a qual Borges trabalha, não tem sede em Boa Nova. Borges trabalha em casa e paga telefone e Internet do próprio bolso. O único carro de serviço – um modelo velho, enviado de outro parque – quebrou em junho. Não há verba para consertá-lo. Desde então, Borges usa ônibus ou pede veículos emprestados a moradores. Sua verba para despesas mensais, tirando seu salário, é de cerca de 300 reais.

Borges é responsável por fiscalizar todo o parque, combater a caça, tráfico de animais e desmatamento, fazer trabalhos de aproximação com as comunidades, incentivar o turismo e a educação ambiental, além de lidar com a enorme burocracia estatal. “Existem muitos sistemas de controle para gestão, pesquisas e documentos. Todos os documentos relativos ao parque precisam ser escaneados, é um processo bem burocrático. Tenho de fazer o papel de secretária, polícia, animador social e agente de desenvolvimento local. E eu não dou conta.”

Vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, o ICMBio gerencia e fiscaliza as Unidades de Conservação (UCs) do país, além de fomentar e executar programas de pesquisa, proteção, preservação e conservação da biodiversidade e exercer o poder de polícia ambiental. Atualmente, o ICM Bio tem pouco menos de 2 mil funcionários públicos em seu quadro fixo e é responsável por 341 unidades, incluindo 314 UCs e 11 centros de pesquisa, além de coordenações regionais e unidades administrativas. A área protegida pelo ICMBio é de 75 milhões de hectares (750 mil km2), ou 8,8% do território brasileiro.

Nos últimos anos, o orçamento do ICMBio tem sido constantemente cortado pelo Governo Federal. Em 2010, a verba anual foi de quase 626 milhões de reais. A projeção para 2014 é de pouco menos de 498 milhões. Considerando uma inflação média de 6% ao ano, a queda real no orçamento será de 38% em quatro anos.

Como o governo não pode diminuir salários de funcionários públicos, os cortes atingem, basicamente, as despesas discricionárias. No caso do ICMBio, representam gastos com vigilantes, funcionários terceirizados, apoio administrativo, locação de móveis e imóveis, material de trabalho, energia elétrica, diárias, passagens e suporte a tecnologia da informação. Os ambientalistas mantiveram seus empregos, mas trabalham em condições cada vez piores. A cada corte, a infra-estrutura do ICMBio deteriora.

Só em 2013, o Governo Federal fez dois cortes. O segundo, ocorrido em julho, ceifou 107 milhões de reais do orçamento do Ministério do Meio Ambiente. Segundo Anna Flávia de Senna Franco, diretora de Planejamento, Administração e Logística do ICMBio, o Ministério do Meio Ambiente está tentando, junto ao governo, rever esse corte. “Já fizemos estudos mostrando a dimensão do impacto que isso causaria. A Ministra (Izabella Teixeira, do Meio Ambiente) está empenhada. Já escrevemos ofícios mostrando possíveis impactos e prejuízos à fiscalização.” Procurado pela “Folha”, o Ministério do Meio Ambiente não quis se pronunciar.

Enquanto isso, ambientalistas sofrem com a falta de condições de trabalho. Rafael Rossato é analista ambiental do ICMBio na Unidade de Conservação (UC) da Floresta Nacional de Tefé, interior do Amazonas. A área tem mais de um milhão de hectares, ou 10 mil km2, quase sete vezes o tamanho da cidade de São Paulo. Para fiscalizar toda essa área, a UC de Tefé conta com dois analistas ambientais e três técnicos. “É um número muito reduzido de servidores para uma demanda de trabalho muito grande”, diz o analista. “É necessário um concurso público urgente, tendo em vista que o último concurso foi em 2009 e quase todos analistas ambientais lotados na Amazônia já saíram da região, seja porque a sede tinha interesse em levá-los para Brasília, por licença médica -normalmente psicológica – ou porque pediram exoneração.”

A UC de Tefé tem a missão de fiscalizar vários rios, mas não possui barco. Quando saem para trabalhos em rios, os servidores precisam alugar barcos por um contrato de preços elevados e sofrem com a burocracia até para comprar gasolina. Rossato conta que o escritório abriga ainda funcionários de outras cinco UCs da região, num total de cerca de 20 profissionais. O escritório conta com dois carros, um telefone – o segundo foi cortado recentemente – e a Internet é precária. Rossato chega a levar quatro horas para cadastrar um documento em um sistema informatizado do ICMBio.

Um ambientalista com cargo de chefia no ICMBio, que pediu para não ser identificado, fez um resumo do caos por que passa a vigilância ambiental no país: “O sistema de unidades de conservação do Brasil é o mais lindo, diverso e de maior potencial do planeta. Porém, as condições dadas são verdadeiramente ridículas. Conheço parques em uma dúzia de países, mas nada chega perto do abandono por que passamos. A relação $/área protegida do Brasil é pior que da Bolívia e Zâmbia. (…) A relação servidor/área protegida é talvez a pior do mundo, beirando um gestor para cada 20 mil hectares (200 km2) protegidos. Se considerarmos só a Amazônia, temos um servidor para cada 200 mil hectares (2 mil km2). Nosso sistema é um dos únicos que não possui guarda-parques, monitores ou qualquer outro tipo de contratação local, política amplamente empregada mundo afora a fim de que a população se aproprie das UC e que os parques possam ter a melhor mão de obra: a que mais conhece a região.”

O isolamento de ambientalistas torna o trabalho perigoso, especialmente porque eles têm a missão de coibir e denunciar abusos ambientais. Há quatro meses, uma ambientalista federal pediu para ser transferida de Paraty (RJ) depois que uma bomba foi jogada em sua casa. Há um mês, o biólogo espanhol Gonzalo Hernandez foi encontrado morto a tiros em um parque em Rio Claro (RJ). Hernandez havia denunciado crimes ambientais, como extração ilegal de palmito, de areia e caça irregular, no Parque Estadual Cunhambebe.


  1. FONTE: UOL

 



Escrito por Renata Bucciarelli às 14h14
[] [envie esta mensagem
] []





Lei Aprovada

Nota Fiscal Animal beneficia entidades de proteção

 31 de julho de 2013 às 20:00

 

 


 


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

 

A Secretaria da Fazenda do Estado de SP acaba de regulamentar a inclusão de entidades de proteção animal no rol de entidades habilitadas a receberem créditos da Nota Fiscal Paulista. A partir de agora, essas entidades poderão receber créditos e bilhetes para concorrer aos sorteios tanto a partir de compras realizadas pela própria entidade, como da doação de notas sem identificação de CPF ou mesmo de notas já identificadas, por meio do site da Nota Fiscal Paulista.

Essa regulamentação decorre de decreto do governo do Estado, atendendo à Lei da Nota Fiscal Animal (14.728 de 2012), de autoria do Deputado Estadual Feliciano Filho (PEN51-SP).

“É um momento muito aguardado pela proteção animal,” declarou o deputado Feliciano. “Depois da Lei Feliciano, que proíbe a matança de cães e gatos sadios nos CCZs, canis públicos e congêneres, é o melhor projeto da causa animal, pois poderá gerar recursos para as entidades de proteção e defesa realizarem um trabalho que a maioria dos municípios não faz, que é a instituição de políticas públicas, tais como: resgates, tratamento, castração, identificação e manutenção dos animais até sua doação. Além de poderem trabalhar ainda mais intensamente na conscientização da população em relação à guarda responsável.”

“A grande vantagem,” continua o deputado, “é o fato de que qualquer pessoa poderá doar recursos para as entidades, sem botar a mão no bolso e, desta forma, ajudar a salvar muito mais os nossos amigos que não podem se defender, que não tem voz e nem a quem recorrer.”

 

Veja como sua entidade pode participar: http://www.felicianofilho.com.br/?p=3455

 

Fonte: http://www.anda.jor.br/31/07/2013/nota-fiscal-animal-ja-e-realidade...



Escrito por Renata Bucciarelli às 13h47
[] [envie esta mensagem
] []





 
Change.org
Você acha que carne de cavalo serve para o consumo humano? Se não, assine este abaixo-assinado.
Clique para assinar

 

 

Gostaríamos de compartilhar com você um abaixo-assinado pedindo para o Ministério da Agricultura e líderes do Congresso proibirem o abate de cavalos para o consumo da carne. Recentemente, vestígios de carne de cavalo foram encontrados em lasanhas e hamburgers congelados na Europa, o que gerou uma polêmica sobre a fiscalização destes produtos e falta de ética e transparência com os consumidores.

O abaixo-assinado, criado por uma usuária da Change.org que apoia causas ligadas aos direitos dos animais, busca proibir a comercialização de carne de cavalo para o consumo. Na página ela também deixa claro que é contra outros tipos de abates, mesmo os considerados "éticos".

Se você concorda, clique aqui para assinar

Obrigado!

Equipe Change.org Brasil

 

Inicie um abaixo-assinado.



Escrito por Renata Bucciarelli às 12h41
[] [envie esta mensagem
] []







-  Newsletter n.142

in collaborazione con


BASTONATI A MORTE






"TRENTAMILA CANI AMMAZZATI
A BASTONATE OGNI ANNO IN CINA"





Leggi la notizia



ADDIO PARCO ACQUATICO: DI NUOVO
LIBERI 4 DELFINI IN COREA DEL SUD





Leggi la notizia





PROVINCIA: VIA LIBERA ALLA CACCIA
ALLA VOLPE CON "BRACCATA"





Leggi la notizia



MAROCCO, BLOCCATO DALLA POLIZIA
PER IL "MERGUEZ" DI CARNE DI CANE 





Leggi la notizia





USA, STATO DI NEW YORK: PRESTO SPAZIO SOLO AD ENERGIE VERDI



Leggi la notizia




MailUp Email inviata con MailUp



Escrito por Renata Bucciarelli às 11h38
[] [envie esta mensagem
] []





 
 

Acordo entre índios e empresa libera canteiro de obras de Belo Monte

O grupo de indígenas que ocupava o acesso a um dos canteiros de obras da Usina Hidrelétrica Belo Monte, próximo ao município de Altamira, no Pará, entrou em acordo com a empresa Norte Energia no final da tarde desta quarta-feira (9) para desocupar a área.

O acordo foi feito durante uma reunião realizada nesta quarta (9), entre a empresa e os índios. O encontro durou cerca de duas horas, e segundo os índios, o acordo só foi possível porque a Norte Energia atendeu as principais reivindicações da tribo, dentre elas a compensação financeira pelo prejuízo causado à pesca e criação de peixes ornamentais. Os valores do acerto não foram divulgados.

Uma reunião foi marcada para a próxima quinta-feira (10), para formalizar o acordo discutido na tarde desta quarta (9). Além disso, nesta próxima reunião também serão definidos os prazos para que a empresa cumpra as ações acertadas com os indígenas.

Entenda o caso

Na última segunda-feira (7), cerca de 20 lideranças indígenas da tribo Juruna bloquearam o acesso ao sítio Pimental, um dos canteiros de obras da Usina Hidrelétrica Belo Monte, que está sendo construída no rio Xingu. O bloqueio foi feito no local conhecido como Travessão 27, a aproximadamente 4km da portaria de acesso do canteiro de obras.

Com o protesto, operários do Consórcio Construtor de Belo Monte (CCBM) não puderam trabalhar no empreendimento.

Fonte: G1

 
Eu fico perplexa com uma notícia dessa.
Como se mede o prejuízo causado à pesca e criação de peixes ornamentais, como se chega a um valor em dinheiro??? Por quanto tempo essa compensação vai durar???
Trabalhei alguns anos na Causa Indígena, ainda trabalho, tive a oportunidade de trabalhar com Orlando Villas Boas por duas vezes, como posso entender isso???
Sempre lutei a favor dos Índios... invasões, demarcações, pobreza, falta de respeito, falta de ética, alcoolismo, saúde, exploração...enfim, vários fatores que eles sempre tiveram que enfrentar.
Apesar de ter mais convívio com os Xavante, Crenac, Mundurucu e Waurá, para mim todas as tribos merecem o meu respeito e a minha luta.
Não consigo entender a atitude dos Juruna, talvez possa ser ingenuidade minha ou talvez eles não tivessem outra saída.
Apesar disso não posso ficar calada vendo uma coisa dessa acontecer.
Gostaria de saber se a FUNAI e a FUNASA participaram "desse acordo", são Entidades que foram criadas para proteger os índios.
Existe uma grande polêmica na construção de Belo Monte e devagar vejo que a fauna e flora vão sendo cedidas e concedida, devagar a devastação vai tomando conta.
Tanto trabalho, sacrifício para o Parque do Xingu ser criado e preservado em outros tempos, agora querem rasgar toda essa preservação.
Que o trabalho dos indigenistas, antropólogos, médicos, jornalistas e pessoas boas não sejam em vão, que toda uma vida dedicada aos índios pelos Irmãos Villas Boas não tenha sido em vão.
Que o povo brasileiro se dê conta de que as áreas que ainda restam são Patrimônios Nacionais, que sejamos uma Nação que respeita a soberania e exerça a cidadania.
 
Renata Bucciarelli*
Jornalista
correspondente PORTAL MULHER - SP
 



Escrito por Renata Bucciarelli às 14h04
[] [envie esta mensagem
] []






Feiras Livres - Um patrimônio a ser guardado

 
 
Em plena era da tecnologia, muita gente pelo menos uma vez por semana tem o prazer de ir fazer compras em uma feira livre.
Entre o colorido das frutas, legumes e hortaliças, atualmente a feira teve uma queda de 50% em seu faturamento.
Os grandes mercados e a própria internet contribuem para isso, ou seja; existem pessoas que fazem esse tipo de compra pela internet e gostam de consumir principalmente dentro dos supermercados.
Outro empecilho é o horário. Antigamente as feiras funcionavam das 7hs às 15 hs. Hoje o funcionamento é até às 12hs, com quatro horas a menos para um faturamento melhor.
A feira é diversificada, existem também os biscoiteiros, peixeiros, bancas de carne e frango, pasteleiros, caldo de cana, floristas e paneleiros.
Em entrevista com Marcelo Antonio Pedroso, (40), paulistano, paneleiro e afiador, com uma banca de dois metros na esquina da R: Artur de Azevedo com a R: Antonio Bicudo, tivemos uma prévia sobre a baixa do faturamento da feira.
Segundo Marcelo, a renda por muitas vezes não é lucro, por exemplo: - A tampa de uma panela de pressão é mais complicada do que as outras, fazendo seis reparos ele cobra R$ 5,00. Uma afiação de faca custa R$ 1,00.
Mesmo sendo muito barato ele faz para conservar a freguesia e enfrentar a crise.
Ele ainda está pagando as prestações de seu caminhão, que é fundamental para o seu trabalho.
Perguntei a ele se valia a pena e em resposta fiquei sabendo que Marcelo cursa a faculdade de História, está no segundo semestre, pretende se formar e ser professor de História.
É lamentável que serviços assim estejam ameaçados de extinção, de feirante e paneleiro à professor de história - Não por opção, mas por necessidade.
Quem não quer guardar aquela panela que foi da avó, aquele bule do coração???
Serviços assim tendem a sumir sucumbidos pela globalização. As pessoas não conseguirem trabalhar por conta própria, migram para outras áreas, isso é uma questão de sobrevivência.
Se não abrirmos os olhos daqui a alguns anos as feiras estarão descaracterizadas.
Não se esqueçam da "Hora da Xepa", importantíssima, extinta pela prefeitura, fundamental porque alimenta as pessoas de baixa renda, asilos, creches e entidades carentes.
Precisamos resgatar isso para continuar esse serviço de utilidade para essas pessoas, elas dependem disso.
A Feira Livre é um Patrimonio Cultural do Brasil, lutemos para conserva-la.
 
 
 
 
 
Renata Bucciarelli*
Jornalista Portal Mulher
correspondente SP
MTB - 37.117



Márcia Mendonça
Administradora do Portal Mulher
Produtora da Radio Mulher Web
www.portalmulher.net

marciaprodutora@hotmail.com;marcia@portalmulher.net
Administradora Pública (UFBA)
Radialista - Sindicato dos Radialistas  de Feira de Santana|Ba
DRT: 5886
facebook.com
Twitter.com  





Escrito por Renata Bucciarelli às 13h16
[] [envie esta mensagem
] []





Pátria Amada Brasil



Escrito por Renata Bucciarelli às 10h28
[] [envie esta mensagem
] []





 

 *** Recanto dos Anjos***
 

Nada pior do que voltar a trabalhar com pedido de socorro....
Hoje o pedido é pra nossos queridos peludos do abrigo  *** Recanto dos Anjos ***

 *** Estamos precisando de RAÇÃO *** 

Todo dinheiro arrecadado em rifas esta sendo usado com os cães em veterinarios 

Há um bom tempo estamos tendo cães com graves problemas de saude. 
Atualmente temos a princesa esperando biopsia pra saber que tipo de tumor tem.....pra ver se opera ou não....
Temos um idoso que voltou pro abrigo e não está conseguindo se recuperar da doença do carrapato. Um outro que está com a alergia no pior estagio e não estamos conseguindo controlar. 
Enfim está um caos a situação do *** Recanto dos Anjos ***.

Boa parte dos cães do abrigo é composta de idosos ou alergicos, o que dificulta e encarece o tratamento e pesa nos gastos do mes.

E hoje chegamos a conclusão, que se quisermos que eles comam, vai ter que ser ração de combate.....
Acho que a maioria de voces sabe o que quer dizer isso...... má alimentação e consequentemente doenças a vista......

Amigos apesar de haver muitos abrigos em situação ruim, temos que pedir ajuda para os nossos.

Não estamos conseguindo manter a ração, a manutenção do abrigo e as despesas com a clinica veterinaria. 
Nossas campanhas não estão alcançando o necessario para cobrir os compromissos. 

Só de prestação do terreno são $1.000,00. A despesa da ração gira em torno de $2.200,00. E as doações são poucas.

Por favor, peço que olhem por nós e nos ajudem da forma que puderem.

agradeço em nome do *** Recanto dos Anjos ***
 

Beth Piai  -    
piai.fwb@terra.com.br

 



Escrito por Renata Bucciarelli às 10h32
[] [envie esta mensagem
] []





Silvia Amorcão - REDE BICHOS



Escrito por Renata Bucciarelli às 11h33
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]